Entenda como as novas regras do CFM impactam seu marketing médico

Já está por dentro das novas regras do Conselho Federal de Medicina (CFM) sobre publicidade médica? Em 2024, a Resolução nº 2.336/2023 trouxe mudanças importantes que você precisa entender. 

Agora, é permitido o uso de mídias sociais para promover suas atividades profissionais e captar novos clientes. Além disso, você pode utilizar bancos de imagens comparativos com fotos de antes e depois, desde que a identidade dos pacientes seja preservada. Outra novidade é a possibilidade de divulgar os custos de consultas e procedimentos médicos. 

Neste artigo, vamos explorar em detalhes o que essas novas diretrizes significam para o seu marketing médico e como você pode se adequar a elas.

Uma nova era para a Publicidade Médica

Depois de três anos de discussões, o CFM atualizou suas diretrizes sobre publicidade médica. A antiga Resolução 1.974/2011 foi substituída para modernizar o marketing médico e atender às necessidades tanto dos profissionais quanto da sociedade. Essas mudanças estão alinhadas com o Código de Autorregulamentação Publicitária do CONAR, garantindo, assim, que as práticas de marketing permaneçam éticas e transparentes.


Entenda como as novas regras do CFM impactam seu marketing médico

Requisitos para Publicidade Médica

Toda publicidade médica deve incluir informações obrigatórias como o nome do médico, o número de registro no CRM, a expressão “MÉDICO”, e a especialidade ou área de atuação. Além disso, para estabelecimentos médicos, é necessário mencionar o nome do estabelecimento, seu número no CRM e o nome do diretor-técnico médico, também com seu número de CRM.

Esses requisitos se aplicam a todas as formas de comunicação, incluindo redes sociais, blogs e sites. Então, certifique-se de que essas informações estejam sempre visíveis na página principal do seu perfil ou site.

Uso de Imagens de “Antes e Depois”

Uma mudança significativa é a permissão para usar imagens de “antes e depois” para demonstrar resultados de tratamentos e procedimentos. No entanto, essas imagens devem ser acompanhadas por informações detalhadas sobre as indicações, evolução e possíveis complicações. Vale lembrar que a demonstração de técnicas restritas ao ambiente médico continua proibida.

Organização de cursos, consultorias e grupos de trabalho

  • Para leigos: Cursos com caráter educativo, sem consultas ou diagnósticos, e sem ensinar atos privativos do médico.
  • Para médicos: Cursos, consultorias e grupos de trabalho, incluindo discussões de casos clínicos e atualizações médicas, respeitando a confidencialidade.
  • Para estudantes de medicina: Atividades similares, desde que os participantes respeitem o sigilo profissional e as normas da prática médica.

Leia também:

Novas permissões em Publicidade

Redes sociais: Publicar selfies, imagens e áudios, desde que não sejam sensacionalistas ou de concorrência desleal.

Espaços publicitários: Comprar espaços em veículos de comunicação, para fazer propaganda/publicidade. 

Ambiente de trabalho: Usar fotos ou vídeos do ambiente de trabalho, incluindo imagens da equipe.

Tecnologia: Anunciar aparelhos e recursos tecnológicos aprovados pela Anvisa e autorizados pelo CFM.

Informações de serviço: Divulgar formas de agendamento, horários de atendimento e valores de consulta.

Promoções: Anunciar descontos em campanhas promocionais, sem vendas casadas ou premiações inadequadas.

Planos de saúde: Divulgar serviços de planos e seguros saúde, desde que preste serviços a esses planos e tenha autorizado o uso de imagem. 

Resultados de tratamentos: Divulgar resultados improváveis (refere-se a resultados que não são comuns ou esperados na maioria dos casos clínicos), desde que não identifique os pacientes.


Se precisar de ajuda para ajustar seu marketing médico conforme as novas regras, estamos aqui para ajudar. Vamos juntos garantir uma comunicação ética, transparente e eficaz!


Práticas Proibidas

  • Anunciar tratamento de doenças específicas sem ser especialista.
  • Divulgar equipamentos ou medicamentos sem registro na Anvisa ou métodos não reconhecidos pelo CFM.
  • Manter consultório em estabelecimentos farmacêuticos ou similares.
  • Atuar de forma sensacionalista ou autopromocional.
  • Participar de propagandas que garantem resultados.
  • Expor consultas e procedimentos em tempo real, exceto em eventos científicos.
  • Garantir ou prometer bons resultados de tratamentos.
  • Promover empresas farmacêuticas em consultórios se houver investimento nelas.
  • Permitir divulgação de títulos como “médico do ano” sem autorização.


As novas regras do CFM trazem mudanças importantes que visam modernizar e regulamentar a publicidade médica de forma mais adequada às demandas atuais. Portanto, é fundamental que você esteja ciente dessas atualizações e as implemente na sua prática para garantir conformidade e aproveitar as novas oportunidades.